“EU SOU A FAVOR DE UMA REFORMA, MAS NÃO COM ESSE TEXTO QUE AFETA OS MAIS POBRES”, afirma Aliel Machado após Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência

Deputado Federal Aliel Machado (PSB) explicou pontos da Reforma da Previdência. Foto: Claudio Lima.

Da redação/Claudio Lima – Edição/Matheus Lara

Aconteceu na última quinta-feira (09), às 19 horas, na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), uma Audiência Pública com o tema “Reforma da Previdência”.

Na oportunidade o parlamentar Aliel Machado (PSB), que é membro da comissão que analisa o texto da reforma, concedeu uma entrevista ao Campos Gerais Notícias, e expôs os maiores contrapontos do texto proposto pelo Presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Organizado pelo diretório acadêmico, o evento lotou o grande auditório do Campus Central da UEPG, e contou com a presença do reitor Miguel Sanches Neto, professores, acadêmicos, especialistas no assunto e outras autoridades.

Sobre os pontos positivos na Reforma da Previdência, Aliel disse que representam somente 5% e 6% apenas. Foto: Claudio Lima

Confira a entrevista na íntegra cedida pelo Deputado Federal Aliel Machado:

Quais pontos vocês estão discutindo para fazer a alteração no texto da Reforma da Previdência?

Eu sou a favor de uma reforma, acho que é necessário fazer algumas correções, governos anteriores fizeram e é justa fazer uma correção, num momento como esse, num momento de expectativa de vida. Agora não esse texto. Esse texto é muito cruel, muito maldoso, ele cuida pouco dos privilégios, e ataca muitas as pessoas mais unidas. Para exemplificar, 92% da economia prevista para os próximos vinte anos, é em cima de quem ganha até 2 salários mínimos, e assim você vai ter uma série de regra que o governo está alterando, que vai prejudicar pra chegar até esse número, como diminuir pensão, diminuir cálculo de aposentadoria, como aumentar o tempo para aposentar dos mais pobres, que geralmente é de 15 pra 20 anos, como aumenta para ter a aposentadoria integral que nem vai ser integral, mas ele aumenta para 40 anos, ainda mais o governo coloca as situações que envolve terra e tirar remédios das pessoas que não tem nada haver com a previdência, e a aposentadoria rural que é gravíssimo. Mas para falar de um termo específico, eu diria que a questão central da reforma, é a capitalização, onde ela tem um custo alto, o governo que mudar, acabar com esse regime, implementar um regime de poupança, ou seja, cada pessoa vai ter que poupar o que conseguir, isso é horrível sem contar que é uma contradição, porque isso custa pro governo, e o governo não diz quanto é esse custo e nem como vai fazer, e como a gente vai provar isso.

Pontos positivos da reforma

Esses pontos são menores, mas que precisam ser ressaltados. Eles representam 5% e 6% da reforma apenas, mas é o aumento da alíquota para quem ganha mais, acho justo de quem ganha mais e pague mais, diminuição da alíquota para quem ganha um pouco menos, também acho justo, o governo melhora o mecanismo para cobrar os devedores, isso é um ponto importante em relação a isso. O que nos defendemos na comissão especial, e eu como membro da comissão, é representar um substitutivo, ou seja, um novo texto como alternativa da Reforma da Previdência. Antes de votar a reforma, nos entendemos ser justos, fazer a reforma tributária, corrigir as distorções, as questões dos absurdos que temos hoje no Brasil, para poder fazer com que o país cresça novamente sem tirar dos mais pobres”, finaliza.

O Deputado Federal Aliel Machado (PSB), convida a sociedade para saber mais sobre a Reforma da Previdência, a ler a proposta da reforma- n° 06 de 2019. Sobre o evento na UEPG, o parlamentar disse que foi muito importante, para os questionamentos, ainda mais em um espaço público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here